sábado, 12 de maio de 2012

Direitos do Consumidor


 Todo o mundo sabe o que são “Direitos do Consumidor”, mas saber o significado dos signos não significa que se saiba realmente o que significa Direitos do Consumidor. 

Na situação económica actual, em que vemos os nossos direitos restringidos em prol do bem comum e da reconstrução de um país em ruinas, tornamo-nos mais inócuos perante situações que perfuram a ínfima liberdade que nos resta. Agarrados a um passado epopeico, Iludidos pelas promessas ocas e pelas promoções aliciantes, esquecemo-nos que a luta não terminou e que não nos podemos acomodar e esperar que alguém faça algo por nós. 

Porto Cartoon World Festival_Mihai Ignat



E por falar em crise e em “apertar o cinto”, uma expressão que se repete quase mecanicamente, porque não adoptar algumas medidas simples para “sobreviver” com dignidade? Umas das coisas que mais me impressiona é que, mesmo sabendo que o monopólio do petróleo explora o povinho, esse mesmo povinho sujeita-se aos aumentos e, recentemente, ridículas descidas de preços e “vai andado enquanto dá” - “os transportes públicos ainda não são uma alternativa interessante ao automóvel” – segundo um estudo da DECO / PRO TESTE. São uma opção mais ecológica, prática, normalmente cómoda e essencialmente económica, mas mesmo assim ainda precisa de ser melhorada. Em termos de atendimento, rapidez dos serviços e também adaptada á crescente necessidade do consumidor, especialmente nas zonas menos populosas (falando particularmente do nosso concelho). Eu não sinto necessidade de contribuir para a destruição da camada do ozono, mas enquanto consumidora sinto-me no direito de exigir o mínimo de condições quando pago para ter um serviço. Pedem-nos esforços, pedem-nos dinheiro, pedem-nos “usem os serviços PÚBLICOS” e no fim de contas parece que nós CONSUMIDORES é que estamos a “pedir” um favor. 

Existem informações mais que suficientes, apoios mais que necessários e só falta consumidores que desejem proteger os seus direitos. Enquanto nos deixarmos guiar inconscientemente, acreditando esperançosos que o futuro vai ser melhor, eliminamos todas as oportunidades de remendar o presente. A partir do momento em que todos se aperceberem do que se passa e se levantarem mais uma vez para lutarem, talvez aí possam reerguer a tão esplendorosa pátria á beira-mar plantada, que tantas glórias conquistou. Aquela de que tanto nos orgulhamos mas que já há muito o deixou de ser.

Temos direito a ter direitos. 
                                                                                                                    

08-05-2012