segunda-feira, 21 de maio de 2012

Confissões de uma "Pseudo-Escritora"

Sinto que chegou a hora de ser sincera, por tanto tempo escondi-me atrás de máscaras de felicidade e de palavras pré-produzidas que confortavam as pessoas – por tanto tempo que me esqueci da minha verdadeira essência. E agora parece que algo “quebrou” em mim e não sinto a necessidade de agradar ninguém com as minhas palavras, e não o voltarei a fazer. Vou clarificar algo: não acho que tenha um grande dom, mas uma vez que tenho aqui um canal aberto e que sou livre de dizer o que penso, vou pegar na minha “liberdade da palavra” e usá-la a meu bem parecer. Não peço que gostem ou que concordem apenas que respeitem.

Nos últimos tempos tenho pensado muito e sobre várias coisas, e por vezes toco num dos pontos mais sensíveis do meu íntimo: “Quem sou eu?” - uma questão que me assustava no passado, porque não sabia e não queria descobrir … Não tenho medo agora e já sei a resposta, e a resposta é “Não sei e não faz mal” ainda tenho tempo e estou desejosa de experimentar a vida. A questão que mais me importa é que me mantenha fiel a mim mesma, e por muito tempo não o fiz. Quero recuperar a minha essência e isto para mim é um começo, um começo honesto... Daí esta confissão!

Não vou aceitar pressões ou criticas ao meu estilo e as minhas escolhas de vida, vou continuar esta jornada de descobrimento de mim mesma, e por enquanto vou escrevendo o que sinto, o que penso, o que sonho até… 

Tenho a consciência limpa, tenho o coração leve e a alma transparente...
Não sou falsa, não minto e não finjo...
Estou aqui, estou livre e estou feliz…




A foto é minha por isso a sua cópia ou uso é ilegal. Por favor não roubem o meu trabalho.